Estuprador da filha e assassino da esposa

As primeiras testemunhas do assassinato de Marisa de Oliveira Costa de 55 anos, começaram a ser ouvidas no fórum de Piraquara, na região Metropolitana de Curitiba. A mulher foi morta com uma facada no pescoço pelo marido, Ezequiel Rodrigues de Meira de 70 anos.

Entre as testemunhas está a filha do assassino, que depôs contra o pai, de acordo com uma testemunha, ela contou a justiça como foi o assassinato e que Ezequiel já teria abusado da irmã dela.

O crime aconteceu em setembro de 2019 em Piraquara, e logo após assassinar a esposa, Ezequiel foi a casa de uma das filhas e confessou o crime, deu um abraço nela e saiu de lá com uma corda na mão dizendo que iria se matar.

Após matar a esposa, o idoso deixou uma carta em cima do corpo que dizia o seguinte: “ Marisa foi a mulher mais querida da minha vida, vai com Deus meu amorzinho, te amo querida,”  e continua em outra carta, “Marisa eu te matei porque eu te amo, vá com Deus minha querida, assinado Ezequiel”. Ezequiel ficou cinco dias foragido, até decidir se entregar na delegacia da cidade e desde então não saiu da cadeia.

O casal era visto com frequência ingerindo bebidas alcoólicas, segundo os vizinhos as brigas eram constantes, mas o fato que motivou a morte de Marisa não foi uma mera discussão, é muito mais chocante e que foi revelado em uma reportagem, de acordo com a filha, Ezequiel partiu pra cima da esposa, após ela pegar ele no flagra estuprando uma outra filha, a vítima é dependente química e morava com o casal.

A irmã da vítima conta que ele a dopava através de um suco com remédio, remédio esse que ela já tomava pra dormir, mas Ezequiel dobrava a dose sem que a vítima percebesse e era assim que o criminoso cometia o estupro.

Ezequiel após cometer o assassinato, ainda agrediu a filha de quase 40 anos com golpes de pá na cabeça, a mesma filha que ele havia acabado de estuprar. O idoso já tinha passagem pela polícia por outros crimes, entre eles estupro, pelo qual ficou seis anos na cadeia, ele tem outras filhas e a maioria fugiu de casa porque não aguentava as agressões constante e o ciúme doentio do pai.

A filha conta que por qualquer motivo apanhava das mãos do pai, chegou a apanhar com chicote de cavalo, além disso a filha conta que ele sempre foi um mostro e que merece seja condenado e continuar atrás das grades e que até se tivesse pena de morte ela aceitaria para o pai.

Detetive Particular

Pensando no bem-estar e tranquilidade de pais e familiares, o Grupo Brasil investigações disponibiliza os serviços de monitoramento 24 horas por dia, além do software espião em celulares e computadores, gravador de áudio ambiente, dentre outros. Saiba mais entrando em contato com nossa central de atendimento.

×