Os perigos no Arco Metropolitano

Criminosos em uma van renderam uma escolta e logo após o motorista de um caminhão de transportes no Arco Metropolitano no Rio de Janeiro, que de acordo com pesquisas, esse caminhão transportava eletrodomésticos.

O motorista foi obrigado a parar no acostamento e teve parte da carga saqueada, a carga roubada foi colocada dentro da van e em seguida fugiram. O motorista roubado acionou a polícia rodoviária federal para averiguação dos fatos.

O governo da polícia federal assumiu a administração do Arco, mas não ouve mudança. A realidade da via é de constante violência, assaltos, falta de manutenção e os motoristas vivem com medo pelo risco que a via oferece aos motoristas que cruzam diariamente o trajeto.

Independente do horário são muitas as histórias de arrastões, assaltos e roubos de carga. Quem geralmente passa por ali reclama da falta de policiamento e da segurança pública no local. O Arco metropolitano liga Caxias a Itaguaí, custou cerca de 2 bilhões de reais, foi inaugurado em 2014 com a promessa de desafogar o transito nas estradas que dão acesso ao Rio de Janeiro.

Essa via seria para transitar cerca de 30 mil carros e caminhões todos os dias, mas em média só passam 15 mil veículos. Não há paradas, postos de gasolina, a noite é um pouco pior, pois alguns trechos não tem iluminação.

Para se ter uma ideia, bandidos derrubam postes de aço para roubar as placas de energia solar e as lâmpadas de LED. Em 2017 mais de 100 postes foram derrubados e nenhum foi substituído por falta de investimentos, que custam cerca de 2 mil reais cada um.

No ano passado o Estado devolveu o Arco para o Governo Federal, e desde outubro o DNIT assumiu a administração da rodovia, mas a manutenção ainda não começou.

Atualmente o DNIT está promovendo os trâmites necessário para iniciar o processo de contratação de serviços de conservação e manutenção da via, mas até o momento não foi feito nada para mudar a situação dos viajantes e trabalhadores que tem acesso ao Arco.

Constantemente o país tem apresentado altos índices de prejuízos empresariais por transtornos devido aos roubos de cargas, ato que atingi fornecedores e consumidores finais que automaticamente reflete no bolso do consumidor.

Infelizmente por esse motivo os reajustes se exaltam de acordo com a demanda e automaticamente para a falta desses produtos no mercado, penalizando todos os fornecedores e consumidores e como consequência o desfalque nas Centrais de Distribuições, nas prateleiras dos comerciantes e na mesa do consumidor final.

Pensando nisso, a nossa agência de Detetive Particular se especializou em monitoramento de cargas e localização de bens, no intuito de reduzir consideravelmente os roubos de cargas e com isso reduz os custos  financeiros.

A competência de nossos detetives é o que faz a diferença, todos são treinados e capacitados para realizar os serviços impostos e facilitar o trabalho policial para a recuperar e apreensão de toda carga roubada.

Os serviços de um detetive pode ir desde a prevenção de um ataque, quanto ao ataque em si, mesmo que já tenha concretizado o roubo, é possível que a contratação de um agente traga recursos para a recuperação da carga. Saiba mais com um de nossos consultores.

Clique nas tags para ver outras páginas do site:

#arco #metropolitano #rio dejaneiro
×