Vizinhos do assassino confesso, ainda procuram maneiras pra digerir tudo o que aconteceu, Guilherme Alves Costa de 18 anos nunca demonstrou comportamento violento, era alguém que podia passar desapercebido no bairro residencial, mas com requintes de crueldade, ele matou com golpes de espada e faca a até então amiga Ingrid de 19 anos.

Três dias após o crime um amigo apareceu na porta da casa da mãe de Guilherme para oferecer consolo, mas ninguém estava em casa. O que aconteceu dentro da casa acabou com o chão dos familiares de Guilherme, que confirmaram para a polícia as características de um jovem comum, pois ele era um jovem reservado.

Guilherme chegou a ir a igreja por um tempo e nunca se envolveu em confusão, gostava de tecnologia, ere trabalhava em uma loja de celulares no centro e tinha como hobby jogos eletrônicos de teor violento que por meio deles conheceu Ingrid Boeno, a Sol dos grupos de Gamers.

Do relacionamento virtual surgiram duas oportunidades para os dois se encontrarem, sendo que o ultimo resultou no assassinato da jovem por um motivo fútil. Guilherme disse ao irmão, antes de se entregar que Ingrid atravessou o caminho dele. A jovem teria se recusado a participar de um plano que envolveria a matança de inocentes.

Guilherme está preso preventivamente já no sistema penitenciário, o inquérito ainda não foi finalizado, mas o Ministério Público já apresentou denúncia a justiça e ele pode se tornar réu. A investigação não tem dúvidas de que Guilherme agiu sozinho, mas espera a quebra do sigilo telefônico para investigar também as pessoas que cercavam os dois no ambiente virtual.

Guilherme falou que o plano para matar outras pessoas envolveriam o que eles chamam de exército, no celular de Guilherme a polícia espera ter mais detalhes e conhecer melhor o perfil do criminoso. Chamou a atenção dos investigadores foi a frieza dele ao falar da morte de Ingrid, oficialmente o homem preferiu não prestar depoimento e diz que só falará em juízo.

O andamento do processo vai depender de um exame ao qual ele será submetido, o de sanidade mental. Uma das pistas do criminoso surgiu horas depois do crime, uma blogueira conhecida pelos textos em defesa do movimento feminista, publicou o que seria um e-mail de Guilherme enviado a ela com os vídeos da morte de Ingrid.

O assassino revela um pensamento que vai além dos textos obscuros que apresentou a polícia, como o ódio as mulheres após uma suposta desilusão amorosa. Ele relata também que comprou uma pistola 9 milímetros, o e-mail será policiado juntamente com a blogueira, que rastreando o endereço do IP confirmará a autenticidade dos fatos, se isso se confirmar, Guilherme poderá ser indiciado por feminicídio, um crime de ódio baseado no gênero.

×