Coronavírus, uma crise mundial

Coronavírus nada mais é que uma família de vírus que causam infecções respiratórias em pessoas infectadas, esse vírus foi descoberto no final do ano de 2019, após registros de alguns casos na China.

Só que o vírus foi registrado mesmo pela primeira vez em 1937, e só em 1965 que recebeu o nome de coronavírus por decorrência dos perfis registrados através da microscopia, pois tem o formato de uma coroa.

Levando em consideração que existem vários tipos de coronavírus, que são os alphas 229E e NL63 e os betas OC43 e KKU1.

Já as Secretarias de saúde divulgaram nesse dia 20 de março, 801 casos já confirmado do novo coronavírus, 0 vírus Sars-Cov-2 em 23 estados no país, já são 11 mortes que foram 2 no Rio de Janeiro e 9 em São Paulo, porém no Ministério da Saúde só registrou 4 mortes apenas.

Alguns estados como Mato Grosso e Amapá registraram seus primeiros casos, no Acre foram 7 casos, no Amazonas foram 7 casos, no Rio de Janeiro são 109 infectados, na Bahia 33 casos, já o Pará, registraram 2 homens de idade média de 35 anos.

Houve um salto nos números de casos registrados e confirmados no Ceará que passaram de 24 para 55 casos e em São Paulo de 286 casos para 345 casos.

 Por enquanto em Rondônia, Maranhão e Roraima até o momento não registraram nenhum caso. Mas contabilizados no balanço feito pelo Ministério da Saúde, divulgados ontem, contabilizaram 621 casos infectados no Brasil.

Serão divulgados apenas casos de confirmação do coronavírus e morte por infecção, já as situações de suspeitas não serão divulgadas. Em algumas áreas do Brasil, existem a transmissão comunitária, que é a transmissão do vírus que circula entre as pessoas que não viajaram ou tiveram algum contato com pessoas que viajaram.

Essas transmissões foram feitas em São Paulo, Bahia e Pernambuco, mas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre ocorre um isolamento das pessoas contaminadas para não espalhar ainda mais o vírus.

A pessoa contaminada pelo COVID-19, como é conhecido o coronavírus, apresentam febre, tosse e dificuldade de respirar, pois o vírus antes de atingir os pulmões, permanece por 4 dias na garganta, o paciente começa a tossir e sentir dores de garganta.

Sendo que a aproximação de 1 metro de alguém que apresente esses sintomas são o suficiente para se expor a infecção, sendo um vírus contagioso é de extrema importância a isolação e os cuidados para com os infectados.

O COVID-19 é transmitido através dos espirros, tosse e contato direto ou por objetos, por causa das gotículas da saliva. Principalmente se essas gotículas ter contato com a boca, olhos e nariz.

O diagnóstico da contaminação é dada após a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). É necessária a coleta de duas amostras na suspeita do coronavírus.

Como estamos em um momento de crise mundial, uma simples ação individual faz toda a diferença, pois a mudança está na consciência e ação de cada um, procurando ficar o máximo de tempo possível em casa, tomando todas as precauções indicadas por médicos endocrinologistas que estão a frente dos casos.

Esses cuidados são: Lavar bem as mãos com água e sabão, usar álcool em gel, cobrir o nariz e a boca quando tossir ou espirrar, evitar locais com aglomeração, manter os ambientes ventilados e não compartilhar objetos de higiene pessoal e alimentação.

Essas dicas são essenciais para todos os dias, mas com exclusividade nessa crise em que um simples vírus é capaz de dizimar milhões de pessoas ao mesmo tempo. Pense em si e no próximo, pois agindo unitariamente para combater esse vírus, juntos somos mais forte.

O Grupo Brasil Investigações se solidariza com todas as pessoas infectadas com o novo coronavírus e aos profissionais da saúde que atendem os pacientes e correm risco para salvar uma vida.

×