Tráfico HUMANO, um assunto pouco falado

O que expandiu em pleno século XXI, foram as atividades ilegais de tráfico de pessoas, ou tráfico humano. Essa prática, embora pouco falada, chama a nossa atenção, mundialmente falando, por ser um desrespeito com os direitos humanos, e infelizmente rentável para criminosos que enriquece em prol da tristeza e sofrimento das pessoas.

Tecnicamente falando, o tráfico humano se classifica em transporte, recrutamento, abrigo,  transferência ou condução de pessoas por meio de ameaças, rapto, uso de força, fraude, engano, abuso de poder em posição aos vulneráveis, receber ou dar dinheiro ou outros benefícios para obter total controle sobre uma pessoa e exploração.

De modo geral, esse ato consiste em comercializar pessoas, escravizar e privar de sua vida pessoal e do livre arbítrio, o que caracteriza a violação dos direitos proposto pelos Direitos Humanos.

Havendo a transportação, cassação ou exploração, o crime poderá ser classificado como tráfico de pessoas, independente se há ou não o consentimento da vítima.

Infelizmente, no mundo inteiro, o tráfico Humano é um dos 3 maiores negócios ilícitos rentáveis, estando pra trás somente do tráfico de drogas e armas de fogo.

Os países com maior número de crimes contra os direitos humanos e exploração sexual, são os países mais pobres, desigualdade social e econômica, sem futuro por causa da precariedade na educação.

O tráfico de escravas brancas alarmou o mundo, onde mulheres da Europa eram traficadas para trabalhar como prostitutas. Um pânico moral tomou conta do país, que reivindicou os mecanismos de erradicação de sua pátria, surgindo então, em 1904, os instrumentos legais para combater o tráfico internacional e nacional de mulheres.

Mais tarde, esse tráfico recebeu o nome de tráfico de pessoas, porque as convenções entendiam que todo e qualquer ato de capturar, vender ou trocar pessoas, eram ilegais mediante aos olhos da justiça e dos Direitos Humanos.

Dentre eles estão também o Contrabando de migrantes e o casamento forçado como moeda de troca par tirar vantagens econômicas, como se fosse um ramo lucrativo onde pessoas eram postadas e carregadas como se fossem um objeto de negociação.

De acordo com a pesquisa da Organização Mundial do Trabalho, a movimentação bancária desses atos ilegais, giram em torno de 32 bilhões de dólares anual, e a maioria das vítimas, quase 80% são mulheres destinadas a prostituição, em segundo lugar está o comércio ilegal de órgãos e exploração de trabalho escravo em construções, confecções de roupas, pecuária e latifúndios.

Como podemos fugir dos criminosos traficantes de pessoas?

1. Sempre duvide de empregos ou outras propostas fáceis e lucrativas.

2. Antes mesmo de aceitar qualquer trabalho, leia todo o contrato e pesquise a índole da empresa, principalmente quando houver a necessidade de deslocamento e viagens.

3. Nunca tire cópia de documentos e deixe nas mãos de terceiros.

4. Sempre deixe alguém ciente pra onde está indo, dando telefone, endereço e razão social.

5. Nunca deixe de comunicar com os familiares e amigos, onde vai e o que vai fazer.

Infelizmente a justiça do Brasil, não disponibilizam dados precisos sobre qualquer desaparecimento, e não existe um dado oficial da quantidade exata das pessoas que estão verdadeiramente desaparecidas. Se houvesse evitaria que mais crianças e mulheres desaparecessem.

Brasil Investigações

Nossa agência possui ferramentas modernas, canais de contato e acesso a bancos de dados atualizados para auxiliar a família na busca de informações e no rastreamento de pessoas desaparecidas ou foragidas.

 Ligue para um de nossos consultores.

×