Maus tratos em asilo e punições

É com a ajuda de uma cuidadora em casa, que um senhor que sofre de esclerose múltipla, tenta se recuperar do trauma que vivenciou em um asilo. O senhor disse que não foi agredido, mas por várias vezes ouviu pedido de socorro, de acordo com ele, no tempo em que ficou no asilo só escutava os gritos de “ai, ai, ai”, além de muita tristeza no olhar das pessoas que estariam internadas lá.

Foi a amiga dele que o levou para o asilo em 2018, o objetivo era socialização, já que ele vivia muito sozinho e iria pagar R$1.060,00 por mês, que segundo a amiga, foi uma indicação de uma mulher do Hospital Santa Casa de Belo Horizonte.

Ao chegar no asilo na Cidade de Santa Luzia, a amiga disse que aparentemente era uma casa razoável e que a proprietária a teria tratado muito bem, foi então que ela teria deixado o senhor, amigo dela na guarda do asilo.

O homem de 58 anos ficou 20 dias no asilo que fica no bairro Barreiro do Amaral em Santa Luzia, até que a amiga foi fazer uma visita. De acordo com ela, quando ela chegou no local, o amigo fez num pedido de socorro, além de emocionado e suplicou que o tirasse de lá.

A amiga conta também que foi relatado a ela que o homem passou fome e frio, além de escutar pedidos de socorro, o que aparentemente alguém estaria sofrendo maus tratos. Por solicitar a retirada do homem do local, as proprietárias do asilo queriam cobrar uma multa de quase R$ 3.000,00, inconformada a mulher chamou a polícia para ajudar a resgatar o amigo.

A polícia relatou que constantemente eram chamados para o local, eles orientaram a mulher a fazer uma denúncia na prefeitura de Santa Luzia, e assim foi feito. Segundo ela, se o caso estivesse sido apurado no ano passado, a situação não teria chegado a esse ponto.

A polícia foi até o local novamente após a denuncia de que 50 idosos estavam sendo maltratados no asilo, a delegada que acompanha o caso disse que a situação era bem pior, que além dos maus tratos físicos, também teria os maus tratos mentais, e que a partir do momento em que se fala de maus tratos físicos e mentais, que se pode tirar dos maus tratos e colocar como tortura de vulneráveis.

Ambulâncias e viaturas da Polícia Civil foram usadas para socorrer os idosos, 13 idosos estavam desnutridos e foram encaminhados para o Hospital Regional de Santa Luzia, um deles está com ferimento na cabeça e afirma que foi agredido no local com um chute.

Alguns familiares de idosos que estavam internados no asilo ainda não foram localizados pelos investigadores, já a dona da clínica e a filha dela foram presas em flagrante pelo crime de tortura, e um dos cuidadores ainda está foragido que de acordo com as vítimas ele era o mais violento.

A delegada diz que a partir do momento em que os familiares dos idosos sabiam que o local era inadequado, que estava interditado e que ao invés de clínica era uma casa de tortura, e que eles sabendo de tudo não tomavam as medidas cabíveis que era de ir lá e retirar o familiar, também iram responder um processo por abandono de incapaz.

Além disso no Art. 98 diz que abandonar um idoso em hospitais, casas de saúde, entidades de longa permanência, ou congêneres, ou não prover suas necessidades básicas, quando obrigado por lei ou mandado também é crime e a pena será de detenção de 6 (seis) meses a 3 (três) anos e multa.

Brasil Investigações

O serviço de um detetive Particular é entrar com estratégia e precisão no caso, com intuito de desvendar mistérios e retratar da melhor forma os fatos com filmagens, gravações de áudio ambiental e fotografias.

 Entramos com provas concretas em mãos, provas essas que poderá ser solicitado por um advogado, ou até mesmo no auxílio a polícia na hora da ocorrência e da apreensão.

Utilizaremos equipamentos de ponta, além disso, nossos agentes atuam com total profissionalismo, agindo com cautela e sigilo para preservar a identidade e integridade do cliente e da vítima. Entre em contato agora e saiba como podemos lhe ajudar.

×